ANIMAL "SLIDE" VETER

"AMIGO DO MÊS" - Angorá Turco

Pesquisar Neste blog

sábado, 18 de setembro de 2010

QUEDA DE PÊLOS DO SEU PET!

Queda de pêlo em Cães

(Cuidado com exageros!!!) 
  As quedas de pêlos podem e ocorrem por várias razões. Uma delas é a chamada queda fisiológica, que ocorre normalmente por envelhecimento do próprio pêlo ou de seu folículo (raiz) e assim esse pêlo cai para ser em seguida substituído por outros.
Essa queda fisiológica anteriormente referida ocorre em geral no verão e não é localizada (num único local da pelagem) mas generalizada, isto não querendo dizer que o animal se torne careca, pois essa queda é rarefeita e é percebida apenas com cuidadosa observação, pelo fato da pelagem ficar menos densa.
A queda chamada patológica (alopecia), que é a queda anormal, têm várias causas. Entre elas, doenças do próprio pêlo ou da pele do animal, tais como micoses, sarnas, eczemas, enfim uma variedade enorme de causas diretas no epitélio de revestimento animal. A queda de pêlos também pode ocorrer de forma indireta, por doenças nutricionais ou mesmo infecções. Entre as doenças nutricionais que podem determinar queda de pêlos pode-se citar a simples avitaminose A. Estando essa vitamina A ausente ou em quantidade insuficiente na alimentação do animal, essa vitamina chamada de protetora dos epitélios, poderá haver simples perda de seu brilho e resistência, culminando até por sua queda. Insuficiências de determinados sais minerais na alimentação, pode ter por conseqüência também queda de pêlos. Até simples falta na alimentação de determinados aminoácidos, que como é sabido são por assim dizer os tijolos que formam as moléculas de proteínas mais complexas, podem também determinar queda de pêlo.
As Infecções, pelo fato de determinarem febre, poderá ser também uma causa de queda de pêlos. Em vista desses diferentes fatores, observe a pelagem de seu cão: Caso a queda de pêlos seja localizada, formando verdadeiras "ilhas" (sem pêlo), isto requer imediato tratamento de acordo com sua causa, sendo em geral originada por parasitas (fungos, sarnas ou outros parasitas). Caso não seja imediatamente tratada quando parasitária, há o risco inclusive do parasita se alastrar ou mesmo se propagar a outros seres suscetíveis, como o próprio homem, no caso de se tratar por exemplo de uma micose tricofítica ou uma sarna por Sarcoptis scabiei (Escabiose).
Já quando a perda de pêlos ocorrer de forma generalizada, determinando apenas uma rarefação da pelagem (ficando a mesma menos densa), caso a mesma seja discreta e sem perda de brilho, trata-se de uma queda fisiológica e em geral ocorre durante a estação do Verão. Porém, quando essa queda é generalizada, tornando a pelagem além de rarefeita também o pêlo perdendo seu brilho, sua causa é geral. Neste último caso, apenas um cuidadoso exame das condições gerais do animal poderá elucidar sua causa específica ou suas causas. Existe também, um quadro mórbido chamado de Alopecia areata, cuja causa é nervosa, causando também queda localizada de pêlos.
P.S. - Deve também ser observado pelo dono ou tratador do animal, se concomitantemente à queda de pêlos existe prurido (coceira), por ser este um importante sintoma complementar para diagnóstico, além de possível rubor da pele (avermelhamento) ou mesmo inflamações nessas áreas da pele onde ocorre tal perda de pêlos. Para dizer se a pele esta ou não inflamada, observe e coloque mesmo sua mão para sentir se há calor anormal nessa área glaba (sem pêlo), pois a inflamação se faz sempre acompanhar de três sinais importantes : DOR + CALOR + RUBOR.
Dr. Carmello Liberato Thadei
Médico Veterinário

Queda de pêlo em Gatos

(Cuidado com exageros!!! - Parte 2)

4 dicas para evitar a queda dos pelos

Fique de olho. A queda é algo preocupante quando é resultado de alguma doença, como problemas hormonais, alergia, sarna ou até ração errada.
Um animal saudável faz a troca de pelos duas vezes por ano: na primavera, quando surgem pelos curtos e finos, e no outono, quando a pelagem fica comprida e grossa, para que o animal suporte o frio. Quando o bicho fica mais velho, também é natural que o pelo caia.

1. Escove com regularidade

Seu bicho vai adorar. Primeiro, escove contra os fios, para tirar os pelos mortos; depois, no sentido normal, para dar brilho. Isso não diminui a queda, mas tira de vez os pelos já soltos.

2. Escolha uma boa ração

Nada de dar sobras de comida para o seu pet. Compre uma ração de qualidade. Se seu animal tiver alergia, tenha ainda mais cuidado. Já existem no mercado algumas marcas de ração especiais para bichos alérgicos ou para melhorar a pelagem.
p.s.: Uma dieta de boa qualidade própria para manter o pêlo do gato saudável vai permitir que o gato perca menos pêlo. Especialistas afirmam que uma alimentação rica em Omega-3 e Omega-6 contribui para um pêlo sedoso e menos queda. 

3. Visite o veterinário

Se você perceber qualquer anormalidade no seu bicho, como manchinhas vermelhas, coceiras, pulgas e carrapatos, leve-o ao veterinário. É sempre bom cuidar logo para que o problema não se agrave.

4. Hora do banho

Seu pet vai choramingar e fugir, mas você não deve desistir. Cães devem ir para o chuveiro a cada 15 dias. Os gatos podem ficar mais tempo sem ducha, mas vale a pena investir em um banho periodicamente.

Site: PETMAG
Leia Mais

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

ADOÇÃO: "COMPRE" ESSA IDÉIA!

Na semana passada um amigo me disse: "Trato meu cão muito bem: ele me custou muito caro! É de raça!".
Pronto! Para quem me conhece sabe que isso foi a gota d'água para que eu começasse aquele discurso...rsrsrs!!!
Qual a diferença entre um "American Staffordshire Terrier", um "Afghan Hound", ou um "Yorkshire Terrier" de um Nobre Vira-latas ( SRD)??? Huuummm... talvez o grau de sangue, o pedigree, o status, a nobreza...talvez seja isso não é?
O meu discurso começa assim: "É animal, é ser vivente, é bicho e merece respeito do mesmo jeito!"
Claro que os animais "de raça" são mais importantes, afinal custou caro!( ouço isso constantemente e me causa Indignação!!!)
Mas enfim... sou adepto ao "NÃO COMPRE, ADOTE!!!"
Só quem adota um animal sabe o quanto é gratificante, e a resposta dos amiguinhos é infalível: reconhecem mesmo o bem que fazemos à eles...porque na maioria das vezes são animais abandonados, mal tratados e que só precisam de carinho, amor e atenção! E o mesmo certamente lhe será retribuído!
Tente e confira, tenho certeza que não se arrependerá!!!



segue alguns links para adoção: ( no google tem centenas!)


ADOTE ESSA IDÉIA!!!

Obs: César (Branco) e Yasmine (Cinza), ambos adotados... Quando adotei César ele era marrom (sujeira pura), com diarréia sanguinolenta e desidratação (Giardíase), com feridas pelo corpo e uma pelagem ralinha...Já a Yasmine veio mais bonitinha, só estava magrinha! Hoje são os xodós da casa!!!
Meus sinceros e eternos agradecimentos a Raquel Sabaini: principal incentivadora da adoção das bolas de pêlo acima! rsrsrs!!!


Leia Mais

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

09 DE SETEMBRO: DIA DO MÉDICO VETERINÁRIO!

Ser Veterinário não é só cuidar de animais.
É sobretudo amá-los não ficando somente nos padrões éticos de uma Ciência Médica.
Ser Veterinário é acreditar na imortalidade da natureza e querer preservá-la sempre mais bela.
Ser Veterinário é ouvir miados, mugidos, balidos, relinchos e
latidos, mas principalmente entendê-los e amenizá-los.
É gostar de terra molhada, de mato fechado, de luas e chuvas.
Ser Veterinário é não se importar se os animais pensam, mas sim, se sofrem.
É dedicar parte de seu ser à arte de salvar suas vidas.
Ser Veterinário é aproximar-se de instintos.
É perder medos.
É ganhar amigos de pêlos e penas, que jamais irão decepcioná-lo.
Ser Veterinário é ter ódio de gaiolas, jaulas e correntes.
É perder tempo apreciando rebanhos e vôos de gaivotas.
É permanecer descobrindo, através dos animais, a si mesmo.
Ser Veterinário é ser o único capaz de entender rabos
abanando, arranhões carinhosos e mordidas de afeto.
É sentir cheiro de pêlo molhado, cheiro de almofada com
essência de gato, cheiro de baias, de curral de esterco.
Ser Veterinário é ter coragem de penetrar em um mundo
diferente e ser igual.
É ter a capacidade de compreender gratidões mudas, mas, sem dúvida alguma, as únicas sinceras.
É adivinhar olhares, é lembrar de seu tempo de criança, é
querer levar para casa todos os cães vadios sem dono.
Ser Veterinário é conviver lado a lado com ensinamentos
profundos sobre o amor e a vida.
“Todos podemos nos formar em Veterinária, mas nem todos nós seremos Veterinários”.

Parabéns Nobres Colegas!!!
video

Leia Mais

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

SUF : SÍNDROME UROLÓGICA FELINA

FLUTD (Feline Lower Urinary Tract Disease) ou SUF (Síndrome Urológica Felina)



Ela atinge a bexiga e a uretra dos gatos, que podem apresentar sintomas como sangue na urina, urinar com muita freqüência ou, ainda, ter dor e dificuldade para urinar (o gato "agacha-se", mas, apesar do esforço, não consegue urinar). Outros possíveis sintomas do FLUTD são a perda de apetite, vômitos e depressão. O gato que apresentar estes sinais pode estar com bloqueio total do fluxo urinário, o que pode levá-lo à morte.



* Que gatos correm mais riscos de ter FLUTD?

1. Machos, especialmente os castrados.
2. Gatos com idade entre 2 e 5 anos.
3. Gatos obesos ou que não se exercitam.
4. Gatos cujos pais já apresentaram FLUTD.

* Quais são os tipos de FLUTD?

Apesar de 60% dos casos de FLUTD serem de origem desconhecida, pesquisas sugerem uma provável relação com o stress (causado, por exemplo, por viver em um ambiente barulhento e agitado).

UROTILÍASE
Urolitíase é a formação de cristais ou cálculos na bexiga, que podem bloquear o fluxo da urina. Os dois mais freqüentes cristais/cálculos são: a estruvita (feita de magnésio, amônia e fosfato) e o oxalato de cálcio (feito de cálcio e oxalato).

TAMPÕES URETRAIS
Este tipo de FLUTD não tem origem conhecida. A uretra é bloqueada por um material mucoso, que pode ou não ter cristais ou cálculos em seu interior.

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO
Um tipo raro de FLUTD, causado por infecção bacteriana ou vírus.



* O que você pode fazer para prevenir a FLUTD:

Garanta que seu gato tenha água fresca à vontade, colocando mais de uma vasilha pela casa.

Estimule seu gato a urinar com freqüência. Coloque à disposição dele mais de uma bandeja com areia sanitária, mantendo-as sempre limpas.

Faça com que seu gato se exercite: todas as atividades físicas (brincadeiras, por exemplo) são sempre bem-vindas. Em alguns casos, um programa de redução de peso pode ser recomendável.

Dê para o seu gato uma dieta saudável, com níveis nutricionais adequados. Deixe-o longe da ração de cães, dê-lhe uma ração apropriada para gatos.

Seu gato deve comer a quantidade correta de ração (veja no guia alimentar das embalagens) se estiver comendo demais e engordando. Divida as refeições em, no mínimo, 4 vezes diárias.

Como seu gato precisa ingerir muita água, é aconselhável dar a ele alimentos úmidos, como carne enlatada para gatos.

Se for castrar seu gato macho, procure fazê-lo apenas após os 13 meses de vida do animal, quando o sistema urinário já está completamente desenvolvido.

E o mais importante: notando sintomas de FLUTD, procure um veterinário.

 

Leia Mais

sexta-feira, 23 de julho de 2010

"VIRA LATA" INTELIGENTE!

 
Um estudo realizado na Universidade de Aberdeen e de Naiper, na Escócia, sugere que cachorros vira-latas são mais inteligentes do que os cães de raça com pedigree.
A pesquisa aplicou sete testes, inclusive de QI, em 80 cachorros. Os animais foram avaliados pelo desempenho nos testes e recebiam nato de até 30 pontos. A média entre os vira-latas foi de 20 pontos, contra 18 dos cães de raça pura.
De acordo com os cientistas, os vira-latas apresentam melhor noção de espaço e resolvem problemas com mais facilidades do que os cachorros com pedigree.
O estudo indica ainda que dos 10 cachorros que apresentaram melhor desempenho nos testes, sete eram vira-latas.
“Ser um cachorro de raça pura não melhora a inteligência”, diz David Smith, que liderou o estudo. “O risco de ter problemas médicos também diminui para os vira-latas”.
Em um dos testes, os cientistas escondiam um osso embaixo de uma lata para observar se os cães conseguiam identificar que o objeto ainda existia. Em outro teste, os cachorros tiveram que encontrar a saída de um labirinto.
O cachorro mais inteligente foi uma mistura das raças Collie e Spaniel, que atingiu nota máxima em todos os testes. O segundo lugar foi ocupado por quatro cães com raças misturadas.

FONTE: http://nickmartins.com.br/atualidades/?p=5786
Leia Mais

"VIRA LATA" SIM! ... COM MUITO ORGULHO!!!



Vira-lata é a denominação dada aos cães ou gatos sem raça definida, SRD, como são geralmente referenciados em textos veterinários.
O termo vira-lata deriva do fato de muitos desses animais, quando abandonados, serem comumente vistos andando famintos pelas ruas revirando latas de resíduos em procura de algum alimento.
Geralmente os cães e gatos considerados sem raça definida são mestiços, descendentes de diferentes raças.

Os SRD, por outro lado, são todos os cães e gatos que não têm origem definidas em um pedigree que é um certificado emitido por entidades oficiais atestando a ascendência do animal. Para obter um pedigree o animal tem que ter pais com o mesmo certificado. Entidades certificadoras exigem verificação de ninhada e mais recentemente a aplicação de microchips por veterinários. O animal pode ter a aparência de um cão de raça mas só o certificado atesta. Hoje, com o avanço dos exames de DNA, provavelmente há possibilidade de se definir se um cão é de uma determinada raça ou não, mas são exames ainda caros. Se houver qualquer mistura de raça (incluindo a cruza de dois animais de raça ou um de raça e um vira-lata) esse animal já será considerado um SRD.
Um dos aspectos mais interessantes do vira-lata é a sua variedade. Encontram-se SRDs de todas as cores e tipos, de todos os temperamentos. Ainda existem algumas características, como o fato de que costumam ser muito inteligentes e afetuosos, variando de acordo com as características herdadas. Normalmente o SRD resgatado das ruas tem um temperamento mais dócil, companheiro e vigilante que os outros cães.

Leia Mais

quinta-feira, 15 de julho de 2010

GATOS SÃO TÃO DRAMÁTICOS !!!


Essa recebi por email de uma amiga da época de faculdade. Ela, uma amante inveterada dos felinos, do outro lado, eu os ignorava... sempre disse que felino não é bicho...é quase humano! Bom... está aí a prova incontestável que adoram dramatizar as mais diversas situações!!! Principalmente se os favorecem...
Obrigado Rackhel Sabhaynni !!!
Leia Mais

quarta-feira, 14 de julho de 2010

CIRURGIAS ESTÉTICAS MUTILANTES EM PEQUENOS ANIMAIS



Resolução CFMV nº 877, de 15 de fevereiro de 2008.
Fonte: Conselho Federal de Medicina Veterinária.

" RESOLUÇÃO Nº 877, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008
Dispõe sobre os procedimentos cirúrgicos em animais de produção e em animais silvestres; e cirurgias mutilantes em pequenos animais e dá outras providências.
CAPÍTULO IV - CIRURGIAS ESTÉTICAS MUTILANTES EM PEQUENOS ANIMAIS 
Art. 7° Ficam proibidas as cirurgias consideradas desnecessárias ou que possam impedir a capacidade de expressão do comportamento natural da espécie, sendo permitidas apenas as cirurgias que atendam as indicações clínicas. 
§1° São considerados procedimentos proibidos na prática médico-veterinária: conchectomia e cordectomia em cães e, onicectomia em felinos. 
§2° A caudectomia é considerada um procedimento cirúrgico não recomendável na prática médico-veterinária. 
Art. 8° Todos os procedimentos cirúrgicos devem ser realizados respeitando o previsto nos Artigos 2º e 3º desta Resolução."

A busca pela estética parece ter alcançado até mesmo os amados bichinhos de estimação. Não são raros nas prateleiras de pet shops, cosméticos para cães e gatos, sem contar nas roupinhas, acessórios e cia. O problema é quando o ideal de beleza vai além, fazendo com que os donos submetam seus animais a procedimentos cirúrgicos duvidosos. Para manter o chamado padrão de certas raças, como o Pit Bull, por exemplo, muitos cortavam as orelhas e até a cauda de seus cães. Felizmente, cirurgias com fins puramente estéticos estão proibidas desde 2008, com a resolução publicada em Diário Oficial pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).
Segundo o texto "ficam proibidas as cirurgias consideradas desnecessárias ou que possam impedir a capacidade de expressão do comportamento natural da espécie, sendo permitidas apenas as cirurgias que atendam as indicações clínicas". A lei aplica-se também a retirada das unhas de gatos e das cordas vocais de cães. Mário Marcondes, diretor clínico do Hospital Veterinário Sena Madureira, explica que o número de clientes que procuram o hospital em busca desse tipo de serviço vem caindo, principalmente devido à seriedade de estabelecimentos que se negam a realizá-los. “Quando os clientes descobrem que tais intervenções cirúrgicas (as estéticas) são contra a lei, eles espalham para outras pessoas, facilitando a conscientização coletiva.”

Cirurgia plástica corretora

Ainda sim, alguns criadores apresentam resistência quanto à proibição das cirurgias estéticas, mas felizmente, existe um tipo de cirurgia plástica extremamente benéfica e recomendada: aquelas que visam à saúde e bem-estar dos bichinhos. Segundo Marcelo Quinzani, diretor clínico do Hospital Pet Care, os casos mais comuns são as correções de pálpebra, para eliminar problemas como entrópio (pálpebra virada para dentro em direção à córnea) ou ectrópio (pálpebra virada para fora). A doença é muito comum em raças como Shar Pei, Chow Chow, Pug e nos gatos Persas.
Outros casos nos quais são necessários procedimentos cirúrgicos são os acidentes como atropelamentos, brigas ou queimaduras. Nessas situações é preciso realizar enxertos de pele. O veterinário Mário Marcondes também aponta a cirurgia reconstrutora como uma importante aliada na correção de problemas mais graves. “Se o animal sofre um acidente e perde parte da mandíbula, por exemplo, pode-se realizar uma cirurgia plástica reconstrutora da região para que o animal possa posteriormente voltar a se alimentar normalmente”.
Ainda no grupo de problemas que precisam de cirurgia plástica corretora figuram as pálpebras caídas, provocadas pelo excesso de pele na região da testa, e a dobra labial caída, muito comum na raça Cocker Spaniel, e que causa muita dor e dermatites no local. No primeiro caso, utiliza-se lifting para levantar a pele da testa e até mesmo a aplicação de botox. Já no segundo caso corrige-se o problema com a retirada dessa dobra, formada, geralmente, no lábio inferior. 
Para finalizar, os especialistas ressaltam que as cirurgias corretoras, por mais simples que pareçam, ainda devem ser tratadas como um procedimento cirúrgico sério, incluindo todos os cuidados durante o pós-operatório dos bichinhos. É preciso, além dos curativos, colocar um colar protetor para que o animal não morda os pontos, bem como a medicação à base de analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos.


FONTE: PETMAG

Leia Mais

ENZIMOLOGIA VETERINÁRIA

A

Os médicos veterinários têm procurado meios auxiliares para avaliação e diagnóstico que ofereçam informações cada vez mais precisas com o menor transtorno ao animal e seu proprietário. A enzimologia tem se apresentado como uma boa alternativa quando usada em conjunto com outros exames, ou mesmo isoladamente. Várias enzimas são rotineiramente utilizadas na avaliação nutricional e no diagnóstico e prognóstico de doenças. Além delas, outras tantas têm sido estudadas e vão sendo incorporadas aos poucos no dia a dia do médico veterinário, constituindo-se ferramentas valiosas no exercício da profissão. 

A enzimologia clínica surge como um meio de desenvolver e utilizar exames clínicos que ofereçam o máximo de informação com o mínimo de invasibilidade, auxiliando no diagnóstico de doenças, no prognóstico de quadros clínicos diversos e na avaliação do estado nutricional dos pacientes.  

ANEXOS: (clique para download)



Leia Mais

quarta-feira, 7 de julho de 2010

VETERINÁRIOS NO DIVÃ


Nas andanças pela internet, acabei por descobrir um "LIVRO VIRTUAL", um Blog sensacional dirigido aos profissionais Veterinários! Uma forma de aprender além dos muros da Faculdade! Não poderia deixar de compartilhar com os colegas tamanha preciosidade. O site disponibiliza uma gama de informações desde o juramento do Médico Veterinário, Reflexões na Veterinária, Medicina Veterinária Holistica, Musicoterapia Animal, Homeopatia Veterinária,  Aromaterapia Veterinária dentre vários temas, além de E-books. FANTÁSTICO!
Clique no Link e desfrutem...


Agradecimentos : Safih Quelbert
Leia Mais

segunda-feira, 5 de julho de 2010

A "IDADE HUMANA" DO SEU CÃO ou A SUA "IDADE CANINA"!!!

Muita gente sempre me pergunta a relação da idade do seu cão  à humana.
Bom, para mim isso é um pouco indiferente, por que existem outros fatores que agem diretamente na idade do ser humano, como estresses, alimentação, sedentarismo, etc, assim como na idade do cão.
Não acredito na correspondência direta entre essas duas coisas, mas a título de curiosidade, encontrei essa tabela e resolvi postar aqui...
Obs:Vale muito mais todos os cuidados necessários como boa dieta, vacinação, desvermifugação e muito carinho
para que seu amigo tenha uma vida longa, saudável e feliz ok? Com certeza o retorno que ele te dará, aumentará e muito a sua expectativa de vida também!!!


Leia Mais

CASTRAÇÃO (esterilização): SIM OU NÃO???

Para os donos de animais de companhia que não querem seus bichos em reprodução, a castração é a melhor alternativa para prevenir o nascimento de filhotes não desejados (acasalamentos acidentais) e evitar, a partir da juventude dos animais, o aparecimento de doenças na terceira idade, originários do efeito dos hormônios sexuais.Além disso, ajuda no controle populacional dos cães de rua!!!
Até alguns anos, acreditava-se que a castração precoce poderia interferir no crescimento dos animais e só se fazer a sua indicação ao término do crescimento. Atualmente já se sabe que a castração não interfere no desenvolvimento e a cirurgia é mais simples e mais segura nos jovens, que sofrem um trauma cirúrgico menor e apresentam uma recuperação mais rápida.
Além disso, a castração precoce impede o aparecimento de comportamentos característicos de machos ou fêmeas íntegras, permitindo desfrutar a terceira idade de forma mais saudável para esses animais. A possibilidade de engorda excessiva após a castração é facilmente controlável com o uso de alimentação adequada e deixa de ser problema na terceira idade.

Alterações provocadas pela castração

1) - Machos
Comportamentais:
  • Menor agressividade: cães e gatos mais dóceis, correndo menos riscos de se machucarem em brigas com outros animais ou ataques a pessoas.
  • Não fazem marcação de território.
  • Não sentem necessidade de sair de casa, evitando, assim, brigas por disputa de fêmeas em cio e evitando atropelamentos.

Do ponto de vista clínico:
  • Evita o aparecimento de alterações de próstata.
  • Evita o aparecimento de tumores em hormônios dependentes.
  • Permite um prolongamento da vida do animal até idades mais avançadas.

2) - Fêmeas
Comportamentais:
  • Ausência do cio.
  • Redução da agressividade.
  • Evita o aparecimento de falsas gestações.

Do ponto de vista clínico:
  • Prevenção de gravidez de risco: na terceira idade a gravidez é sempre de risco.
  • Abole o risco de inflamações de útero, doenças ovarianas e tumores hormônio dependentes, prolongando a terceira idade com qualidade.


Escrito por:
Dr. Osvaldo Pasqualin
Focinhos (Editora Peixes), BR
www.focinhos.com.br

 
Fonte: AMORCÃO
Leia Mais

COMIDA DE CACHORRO

Ossos de galinha, sobras de comida, pão, quitutes, doces, etc. são atrativos para os animais, devido ao sabor e cheiro. MAS ISSO NÃO É "COMIDA DE BICHO"!
São vários os casos que atendemos em nossos consultórios de diarréias, vômitos e animais debilitados consequentes da alimentação inadequada. Muitas vezes os proprietários, por desinformação creem que essses quitutes fazem parte da dieta dos animais, e é claro que o sabor e o aroma desperta o interesse e apartir daí, os cães e gatos podem ficar seletivos e não aceitarem (ou com alguma dificuldade) rações.
Porém, com o tempo, começarão os problemas nutricionais.
Portanto "COMIDA DE BICHO É RAÇÃO", que contem de forma equilibrada todos os nutrientes necessários a dieta animal, além da praticidade de administração!
Em alguns casos, como auxiliar em algum tratamento e a critério veterinário, pode ser feita a dieta de peito de frango, arroz etc.
Quanto as frutas e verduras, algumas podem sim dar ao seu animalzinho como cenoura (crua é melhor!), frutas ( exceto as cítricas) e legumes que podem ser cozidos, mas nunca adoçadas ou temperadas. Converse com o Veterinário de seu bicho ok?
Uma certa vez atendi uma cadelinha da raça Yorkshire, muito bem tratada por sinal: pesava 4,5kg!!!. Conversando com a proprietária, ela negou qualquer alteração na dieta, me informou que a ração era a mais cara do mercado, ração importada, blá, blá, blá... em um dado momento, a cadelinha vomitou em cima da mesa: alem da "ração importada", percebi pão de queijo, carne e pasmem: uma bala de chicletes!!! Não precisa dizer o discurso que eu fiz, quem me conhece sabe que eu xingo mesmo! A proprietária, essa coitada, ficou mais vermelha que pimentão! 
Voltando ao princípio: "COMIDA DE BICHO É RAÇÃO!" e tenho dito!
Leia Mais

sexta-feira, 2 de julho de 2010

PRA RELAXAR...!!!

São essas e mais outras que passamos nos consultórios...
Leia Mais

domingo, 27 de junho de 2010

POR QUE SER VETERINÁRIO????

" Eu amo animais! "
" Eu adoro cães e gatos! "
" Trato meus animais como parte da família!!! "

ENTÃO...: " VOU SER VETERINÁRIO!!! "

São declarações como essas que eu já ouvi dezenas de vezes! Realmente o AMOR é uma palavra forte nas nossas decisões pela vida...MAS... amar não é suficiente para ser Veterinário! O problema NUNCA está relacionado aos animais e sim aos seus donos que dizem que os amam! Basta saber que muitos jamais teriam um VIRA-LATA, sempre querem os bonitinhos, de raça com pedigree e etc! Esses sim eles amam! Os de rua... bom esse será um tema de uma proxima postagem! Por aí já se vê que não basta apenas amar os bichos não é?
Para ser Veterinário, alem de estudar muuuuuiiiiito, tem que ser um pouco psicólogo para conviver com os proprietários!!!
Portanto quando se decidir a ser um veterinário lembre-se: tem que estudar os caninos, os felinos, bovinos, equinos, aves e toda a bicharada, além de saber as diferenças fiosio-anátomo-psico-eto-e-por-aí-vai...entre machos e fêmeas!!!!! (isso é só uma das exigências! rsrsrsrs!!!)
Mas garanto é uma profissão linda, desafiadora, surpreendente, gratificante, etc, etc, etc.
Pra se ter uma idéia veja abaixo por que é fantástico SER VETERINÁRIO:


MAIS ANTES E DEPOIS: CLIQUE AQUI
FONTE: SOS VIDA ANIMAL

Leia Mais

CÃO SEM PATAS GANHA " CADEIRA DE RODAS "



Animal nasceu sem pernas dianteiras e deve receber prótese em breve.

Um cão que nasceu sem as patas dianteiras ganhou uma "cadeira de rodas" para conseguir se locomover.

A ideia partiu do dono do cachorro, Avi Kozi, que adotou o animal quando soube que ele seria sacrificado pelos proprietários originais.

Kozi, que é diretor da Sociedade Protetora dos Animais de Israel, disse que esperou o primeiro ano para ver se o cão, Hoopa, aprenderia a andar usando apenas as patas traseiras, o que não ocorreu.


Por isso, encomendou a "cadeira de rodas".
Agora, ele aguarda a fabricação de uma prótese que deve ajudar Hoopa a se sentar e a se levantar sozinho.
Leia Mais

GATO BIÔNICO

Gato amputado ganha patas traseiras biônicas

Em cirurgia pioneira, veterinários britânicos implantaram membro que devolve ao animal parte de seus movimentos naturais.

 
O gato amputado (Foto: BBC) 


Um gato recebeu duas próteses no lugar das patas traseiras, em um procedimento veterinário pioneiro realizado na Grã-Bretanha.
Oscar, que perdeu os dois membros em um acidente com uma ceifadeira, teve as próteses conectadas ao corpo através de "pinos".
A equipe de veterinários conseguiu fazer crescerem ossos e pele ao redor dos pinos.
A técnica serve como substituto à colocação de próteses fixadas ao corpo através de meias. O lado negativo deste tipo de técnica é que muito frequentemente a pressão e a fricção entre o corpo e o membro artificial geram feridas.

VEJA O VÍDEO: CLICK AQUI
Leia Mais

quinta-feira, 24 de junho de 2010

ZOOTERAPIA


De um modo geral, Zooterapia significa terapia realizada com a presença de animais. Essa técnica pode se valer tanto de espécimes vivos quanto mortos ou partes destes como penas, peles, chifres, carapaças e etc.

Essa técnica data do século 18, quando começou a ser utilizada na Inglaterra, no Retiro de York, onde uma instituição mantinha animais em seus pátios em que os pacientes passeavam.

Mais recentemente, na década de 1960, o psicólogo norte-americano Boris M. Levinson trouxe para a ciência e a prática a riqueza do potencial terapêutico da relação entre pessoas e animais. No Brasil a pioneira com trabalhos zooterapêuticos foi a psiquiatra Nise da Silveira, na década de 1950.

A zooterapia não se restringe a uma faixa etária específica e pode ser utilizada no tratamento de inúmeras doenças, tanto psicológicas quanto físicas. Essa experiência vem dando resultados satisfatórios e encorajadores, conferindo uma condição de transformar-se em extensão universitária, em função dos níveis de pesquisa, educação e participação comunitária, e vem tomando a dianteira em um campo de pesquisa que engloba profissionais da área de saúde e educação.

De um modo geral no Brasil, os trabalhos desenvolvidos ainda se restringem ao uso de canídeos e eqüídeos, entretanto isso não significa a exclusão do potencial de utilização dos demais animais, inclusive espécies da fauna silvestre, para tal finalidade.

Algumas técnicas utilizadas em tratamentos zooterapêuticos estimulam o contato de pessoas com animais e assim aguçam a percepção da consciência dos pacientes, até mesmo a afetiva.

Das técnicas utilizadas tomam destaque algumas que serão citadas abaixo. EAA - Educação Assistida Por Animais: São atividades no contexto escolar, cujo instrumento é o contato dos alunos com cães para promover a aprendizagem estimulando o desenvolvimento dos alunos. TAA – Terapia Assistida Por Animais: Atendimento em psicologia para crianças adolescentes com deficiência, uma intervenção com objetivos definidos na qual um animal que obedece a critérios específicos é parte do tratamento. Esta técnica é uma alternativa, já que, com o passar do tempo, as sessões de fisioterapia, fonoaudióloga, psicologia e terapia ocupacional muitas vezes provocam o desinteresse do paciente devido sua natureza repetitiva. AAA – Atividade Assistida Por Animais: Interação entre paciente e cães treinados, modificando a rotina e introduzindo novos elementos.

As técnicas empregadas variam de acordo com o ambiente em que serão realizados os tratamentos e com o objetivo de cada tratamento. Nos casos de visitas à pacientes hospitalizados são utilizados animais de pequeno porte como peixes e tartarugas em aquários, cães, coelhos e etc. Nessas visitas os animais são levados e acompanhados durante toda a sessão por profissionais especializados. Em outros casos os pacientes são levados a lugares como zoológicos ou aquários, onde possam ter contato com os animais, mesmo a certa distância, mas de forma a estabelecer o contato auditivo, visual ou mesmo olfativo, buscando estimular os sentidos dos pacientes e provocar-lhes reações positivas. Podem ainda ser realizadas sessões terapêuticas em asilos, escolas, casas de repouso, museus de zoologia, parques e etc.

Uma só técnica, se bem empregada, pode fazer surtir resultados positivos nos tratamentos, como em eqüideoterapia, que por si só tem efeito fisioterapêutico, pela ação que os movimentos do animal têm no corpo do cavaleiro.

Existem ainda casos onde o paciente não pode ter contato com o animal vivo, então aí se aplica a utilização de partes do animal penas, cornos, garras, pelagem, carapaças ou até mesmo animais empalhados, buscando promover no paciente estímulo ao toque para despertar sua sensibilidade tátil ou até mesmo reações psicológicas e emocionais como lembranças.

O público mais assistido pelos tratamentos zooterapêuticos é ainda formado por crianças e idosos portadores ou não de necessidades especiais e os profissionais mais envolvidos são fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogos juntamente com veterinários e adestradores.

Os animais chamados de co-terapeutas, empregados no tratamento devem apresentar algumas particularidades para que possibilitem, juntamente com os profissionais, um resultado satisfatório. Em se tratando de cães e cavalos não existem prerrogativas quanto às raças que podes ser empregadas, tendo em vista que todas as raças possuem seu potencial para esse tipo de trabalho. Mas devemos ter consciência de que alguns requisitos são necessários como: o animal deve ser muito sociável, ter interesse pelas pessoas, não ser agressivo, não ser medroso, não reagir a dor (mesmo que causada acidentalmente ou propositalmente). Em suma o animal deve ser calmo, tolerante, amigável e interessado para obter êxito em sua parte do trabalho.

Os benefícios obtidos vão desde a melhoria do equilíbrio e da coordenação motora, recuperação da funcionalidade de membros à novas formas de socialização, elevação da autoconfiança e da auto-estima, melhora no aprendizado, controle da ansiedade e recuperação de memória.

Como nas terapias convencionais, na zooterapia, os resultados dependem de uma série de fatores, que envolvem o profissional, o paciente e os acompanhantes ou responsáveis, com a inserção de um novo vértice que é representado pelo animal co-terapeuta, que conformará uma tríade (animal co-terapeuta x paciente x profissional).

Bibliografia:

Zooterapia por Aristides Gonzaga, Carla Bucar, Daniela Higgin.

Leia Mais

quarta-feira, 23 de junho de 2010

BANHO DE GATO

Tenho visto diversas pessoas comentarem, que não dão banho em seus felinos porque acham dificuldade e ainda, acreditam no mito de que "gato não gosta de água!!" 
O chamado "banho de língua" que nossos amiguinhos tomam diversas vezes ao dia, não lhes retira todas as impurezas do pelo, principalmente se forem pelos longos......Alem de que, eles engolem muitos pelos mortos...O ideal é darmos banho de 15 em 15 dias e , pelo menos de dois em dois dias escovarmos o bichano, para que possamos retirar os pelos mortos...

Vamos então ao banho....

O primeiro passo é colocar em seus ouvidos chumaços de algodão para que não corramos o risco de alguma gota cair para dentro deles, causando uma otite...

Devemos , sempre, ligar a água antes, para que ele não se assuste. A Água deve estar bem morna, nunca mais fria que a temperatura corporal do gato....

Devemos molhar bem, todo o seu corpo...Não molhe, por enquanto sua cabeça.....

Ensaboe, com shampoo ou sabonete, seu corpo , não esquecendo das patas... Existe hoje no mercado variados produtos de higiene para gatos, shampoos, sabonetes, condicionadores...inclusive específicos para distintas pelagens!



Depois, delicadamente, lave seu focinho, mas cuidado para não entrar água em seus ouvidos e nariz...Lave apenas passando as mãos....

Depois de tirar todo o sabão, enrole-o numa toalha...Nunca o deixe pegar correntes de ar...Lembre-se que o gato é muito sensível a mudanças de temperatura e sente muito frio....
Agora seque-o muito bem...

Desembarace um pouco seu pelo, penteando no sentido contrario dos pelos para que possa tirar os pelos mortos...Não precisa de lugar especial para isso...Forre a tampa do vaso sanitário com uma toalha....


Agora, passaremos a fase do secador...Nada de secadores especiais...O secador que você usa para secar seus cabelos serve muito bem!!!

Ligue o secador e deixe-o habituar com o som do mesmo...Vagarosamente vá secando seu bichano...Nunca use secador no máximo....Lembre-se que você quer seca-lo e não cozinha-lo!!!Vá aos poucos e com calma...Se ele parecer assustado, mude a posição do secador e recomece a "operação"


Dê uma paradinha, para soltar mais um pouco os pelos...Penteie a barriga e as patas, desfazendo todos os nós.

Agora de o acabamento final, acabando de secar totalmente seu gato


Vamos ao corte de unhas...

A unha de nosso amiguinho é retrátil...Você deve fazer uma suave pressão em seus dedos para que force a unha a aparecer... Corte a ponta das unhas...Não tenha medo de sangramentos....Você vê facilmente, onde terminam as "veinhas". Abaixo poderá cortar sem medo...Elas crescem demais...Isso também evita que ele queira ficar afiando suas unhas em seu sofá ou cortinas...



Agora, finalmente, vamos as orelhas.... Limpamos, com cotonete seco. Limpamos apenas a parte externa do ouvido...Nunca tente limpar a parte interna, enfiando o cotonete...Isso pode causar serias lesões no tímpano de seu animal...

Viu como é fácil??? Agora, mãos a obra!! Deixe seu bichano feliz e limpo!!!

Agora ele vai dormir uma tarde inteira e parecerá mais carinhoso que nunca!!!
Bom, se voce viu alguma dificuldade em dar um banho no bichano, com certeza tem um pet shop próximo a sua casa que pode fazer isso por voce! Mas certifique da idoneidade do estabelecimento para te dar segurança que o seu animal será tratado com atenção e carinho que ele merece!!!!

AGRADECIMENTOS: SAÚDE ANIMAL
Leia Mais

Junte-se ao Animal Veter através da subscrição do seu email: